9 mulheres que tiveram seus projetos roubados por um homem

Charles Anan foi em uma loja examinar a máquina de Margaret e roubou seu projeto; Alice Guy foi apagada por seu próprio esposo, que levou o crédito de seus filmes.

“Por trás de um grande homem há sempre uma grande mulher”, já deveríamos saber que essa afirmação significa que um homem apresentou o trabalho de uma grande mulher como seu.
Ao longo da história existiram mulheres brilhantes, revolucionárias e inovadoras, porém não são reconhecidas porque um homem levou o crédito de suas criações. Graças a essas mulheres conhecemos o mundo como é hoje, mesmo sem nunca ter ouvido sobre elas antes.

1 – Margaret Knight inventou a máquina do saco de papel em 1868.

Captura-de-pantalla-2017-03-24-a-las-09.31.17.png

Enquanto Margaret Knight trabalhava na Columbia Paper Bag Company, ela pensou sobre a possibilidade de criar uma máquina que produzisse sacos com fundo plano, muito mais rápido para criar do que o lento processo de montagem manual.

Em poucos meses, criou um modelo de trabalho e mudou-se para Boston para trabalhar com dois maquinistas nela.

Um homem chamado Chales Anan foi na loja para examinar a máquina de Margaret. Quando ela foi patentear, sua solicitação foi negada porque Anan já havia patenteado.

2- Alice Guy foi a primeira diretora de cinema.

Captura-de-pantalla-2017-03-24-a-las-09.51.40.png

Alice Guy realizou mais de 100 filmes no começo de 1900, antes de casar-se com Herbert Blaché, diretor do estúdio de produção em que trabalhou. Ela se tornou a primeira proprietária do estúdio de cinema feminino, que inaugurou em 1910, chamado Solax Studios.

Alice apostou em papeis anti esteriótipos de gênero, décadas antes que o termo “papeis de gênero” fosse inserido na linguagem popular. Em um filme, ela criou a ideia de “um mundo em que as mulheres ocupassem papéis tradicionalmente masculinos, enquanto os homens se reprimiam sob a opressão”.

Ironicamente, seu nome foi esquecido e seu marido recebeu os créditos por seu trabalho visionário no cinema. Ele abriu um estúdio depois dela e a convenceu a fundir as duas companhias.

Em 1920, a autora Carolyn Lowrey publicou “The First One Hundred Noted”, sobre homens e mulheres do cinema e dedicou uma página ao legado de Herbert Blaché, sem mencionar Alice. A autora mencionou alguns de seus filmes, mas ela simplesmente atribuiu os créditos a Herbert Blaché.

3- Elizabeth Magie inventou o Monopoly em 1903.

Captura-de-pantalla-2017-03-24-a-las-08.49.27.png

Elizabeth Magie viveu uma vida muito incomum para a sua época. Se mostrou abertamente como uma mulher interessada na política e casou depois dos 44 anos.

Em 1903, desenhou um jogo chamado “Landlord’s Game” para protestar contra os grandes monopolistas, como Andrew Carnegie e John D. Rockefeller.

Porém, três décadas depois, um homem chamado Charles Darrow reivindicou a “versão como sua”, e vendeu o jogo para Parker Brothers. Darrow ganhou milhões para o jogo que conhecemos hoje como Monopoly, enquanto o Magie recebeu apenas US$500.

4- Lise Meitner descobriu a  fissão nuclear nos anos 30.

Captura-de-pantalla-2017-03-24-a-las-09.01.21.png

Quando Adolf Hitler chegou ao poder em 1933, a física austríaca Lise Meitner era diretora de funções no instituto de Química. Nesta época, ela deixou o instituto mas manteve contato com o químico Otto Hahn. As cartas trocadas entre eles mostram que descobriram a  fissão nuclear juntos nos anos 30.

A Lise Meitner foi negado o crédito por ser judia e refugiada. Hahn, que se manteve fiel aos nazistas, ganhou mais tarde o Prêmio Nobel pelo descobrimento.

Está história é considera uma das demais evidências de projetos científicos feito por mulheres que ignorados pelo comitê do Nobel.

5 – Rosalind Franklin  descobriu a forma helicoidal do DNA.

Captura-de-pantalla-2017-03-27-a-las-01.11.26

Rosalind Franklin foi pioneira da biologia molecular, empregando a técnica de difração dos raios-X e concluindo que o DNA tinha forma helicoidal.

Cartas descobertas alguns anos atrás mostram que o chefe do laboratório a odiava, a chamava de bruxa e fazia de tudo para dificultar seu trabalho. Rosalind morreu de câncer no ovário, em 1958.

Francis Crick e James Dewey ganharam o prêmio Nobel, em 1962, sem creditar Rosalind pelo trabalho.

6 – Willie Mae Thornton foi a cantora original de “Hound Dog”.

Captura-de-pantalla-2017-03-27-a-las-01.26.01.png

Em 1952, a cantora e compositora Willie Mae Thornton, conhecida como Big Mama Thortnon, gravou “Hound Dog”, uma canção que foi interpretada depois por Elvis Presley, com a qual vendeu quase dois milhões de cópias. Big Mama tentou muitas vezes receber seus benefícios pela canção, mas teve muita dificuldade. Depois de muito persistir, foi comemorada no Blues Hall of Fame, em 1984. Sua canção Ball and Chain, ficou famosa na voz de Janis Joplin e está no Rock and Roll Hall of Fame, como parte das “500 canções que formaram o rock and roll”.

7- Margaret Keane foi a verdadeira autora das famosas pinturas dos grandes olhos.

Margaret-Keane

Em 1970, Margareh Keane ficou farta das declarações egoístas de seu ex-marido, o famoso “pintor” Walter Keane, fazia à imprensa: Nem Rembrandt, nem El Greco, nem Michelangelo pintam os olhos melhores que eu”, então Margaret confessou em uma entrevista para rádio que, ao contrário do que o mundo acreditava, as pinturas eram pintadas por ela.

“Eu fiz todos eles. Ele não conseguia pintar os olhos, nunca pintou nada”, disse a artista. Walter Keane foi sempre atribuído à criação das pinturas que retratavam crianças, mulheres, cães e gatos com olhos enormes. Finalmente, Margaret conseguiu se divorciar do marido.

Walter, que ganhou cerca de US $ 2 milhões com as pinturas, convenceu Margaret de que ganhariam mais dinheiro se os assinasse. Dez anos depois, ela afirmou no tribunal que Walter ameaçava matá-la se alguma vez fizesse o segredo público.

8 – Jocelyn Bell Burnell foi a primeira pessoa a observar as pulsões de rádio.

Captura-de-pantalla-2017-03-27-a-las-02.16.12.png

Em 1967,Jocelyn trabalhou com seu tutor de tese Antony Hewish e outros pesquisadores na construção de um radiotelescópio. Jocelyn passou grande parte do tempo analisando os dados coletados do experimento.

No processo de observação, alguns dos dados eram estranhos para ela, então ela decidiu informar seu tutor sobre o havia observado. A surpreendente descoberta foi sobre os pulsares de rádio.

Anthony Hewish, o tutor da tese, recebeu em 1974, o Prêmio Nobel de Física por esta descoberta e pela a síntese da abertura de rádio. Jocelyn Bell não recebeu uma condecoração, ela foi descartada da equipe de pesquisa porque “ela era apenas uma estudante de doutorado”.

Uma injustiça que ela mesma justificou dizendo: “O problema do Nobel é que é dado a três pessoas, mas na ciência você trabalha como uma equipe”.

9- Anna Arnold Hedgeman foi uma parte fundamental na marcha de Washington.

Captura-de-pantalla-2017-03-27-a-las-02.30.11.png

Anna foi a única mulher no comitê organizador da Marcha de 1963, em Washington, onde Martin Luther King fez o famoso discurso I Have a Dream.

Porém a líder dos direitos humanos estava escondida, muito escondida atrás dos homens à sua volta. Anna não só mobilizou muitos grupos de pessoas para participar da marcha, como também organizou o transporte e assegurou que os participantes tivessem comida e água.

“Ela também exigiu de seus colegas do sexo masculino que dessem voz às mulheres na marcha, mas, como em outras coisas relacionadas ao gênero, os homens provaram ser implacáveis em seu sexismo”, disse Jennifer Scanlon, autora de uma biografia sobre Hedgemen.

O grupo de líderes que organizou a marcha é muitas vezes referido como Os Seis Grandes. Anna Hedgemen não está incluída neste grupo.

No caso da ciência, esse roubo tem nome:  Efeito Matilda e foi descoberto pela historiadora Margaret W. Rossiter. O nome homenageia a ativista dos direitos das mulheres do século XIX, Matilda Joslyn Gage.

O efeito acontece quando as descobertas e contribuições científicas feitas por mulheres são atribuidas a pesquisadores homens, tendo sua participação diminuída ou completamente negada.

Mais um exemplo é de Trotula de Salerno, médica italiana, que nos séculos XI e XII foi autora de obras sobre menstruação, ginecologia, menopausa, parto e afins, e que depois de sua morte começaram a ser publicadas e atribuídas a autores do sexo masculino. Para apoiar ainda mais a autoria masculina, sua própria existência foi questionada.

Tradução livre do site “Antes de Eva“.

6 comentários

  1. Primeiramente parabéns pelo site.
    Segundo excelente matéria
    Terceiro escrevo para o Site Cinem(ação) e escrevi recentemente um artigo sobre Alice Guy-Blaché e me senti completamente revoltado. Ela foi apagada em vida ainda da história do cinema. Estou pensando seriamente em fazer no site, como temos muita liberdade lá, uma outra coluna chamada Pioneiras. Destacando as pioneiras do cinema que ninguém se lembra. pois todos falam de Lumierè, Méliè, Griffiti, mas e Cleo de Verberena, Anna Hofman-Uddgren, Lois Weber, Mabel Normand, Dorothy Arzner e tantas outras? Temos de trazer o nome delas de novo para História.

    Curtir

  2. As mulheres citadas foram as de grande feito. Temos também as outras profissionais que até hoje têm suas ideias surrupiadas, na cara dura!

    Curtir

Deixe uma resposta para Jane Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s